Irmãos São João
Irmãos São João
 
A Vida Religiosa
 
A Vida Religiosa

O QUE É A VOCAÇÃO À VIDA RELIGIOSA?

A Igreja nos diz que a vocação « é uma aliança de amor mútua e de fidelidade, de comunhão e de missão, estabelecida para a glória de Deus, a alegria da pessoa consagrada e a salvação do mundo. » [Elementos essenciais do ensino da Igreja sobre a vida religiosa, 1983.]

Ela é então uma iniciativa divina para a alegria da pessoa e para a salvação do mundo.
- Uma iniciativa divina – « Tal é o sentido da vocação da vida consagrada uma iniciativa que vem totalmente do Pai (cf. Jo 15,16), que Ele pede aos que Ele escolheu a resposta de um dom total e exclusivo... »
- Para a alegria da pessoa – « … A experiência deste amor gratuito de Deus é de tal ponto íntimo e forte que a pessoa compreende que ela deve responder por um dom incondicional de sua vida, consagrando tudo, o que lhe existe hoje e todo o seu futuro em Suas mãos. » [Vita consecrata, no 17]
- E para a salvação do mundo – « A Igreja não pode de forma alguma renunciar à vida consagrada, por que esta expressa de maneira eloquente sua natureza íntima [de esposa de Cristo]. Nela, o anúncio do Evangelho ao mundo inteiro encontra um novo elo e uma nova energia. De fato precisamos de pessoas que apresentam o rosto paterno de Deus e o rosto materno da Igreja, que colocam em jogo sua própria vida para que outros tenham a vida e a esperança. Na Igreja é preciso de pessoas consagradas que, antes mesmo de se doarem ao serviço de uma causa nobre, se deixem transformar pela graça de Deus e se conformem plenamente ao Evangelho. » [Vita consecrata, no 105]

ELA É DIFERENTE DA VOCAÇÃO DE TODO CRISTÃO?

De acordo com o Concílio Vaticano II, a consagração religiosa « está profundamente enraizada na consagração batismal e a expressa com mais plenitude. » [Perfectae Caritatis, 5] Jesus chama alguns a segui-lo mais de perto. Ele chamou os Doze Apóstolos, e ele escolheu três dentre eles para serem testemunhas da sua Transfiguração e da sua Agonia. Mas apenas um estará presente na Cruz, não porque seja mais corajoso do que os outros, mas porque ele amava o Senhor com fidelidade e com um coração puro.

A vocação está enraizada na graça batismal, e não no seu prolongamento. O batismo não contêm em si o chamamento ao celibato ou a virgindade, a renúncia à posse de bens, a obediência a um superior, na forma precisa dos conselhos evangélicos. A profissão desses conselhos pressupõe, portanto, um dom especial de Deus que não é dado a todos, como o próprio Jesus aponta no caso do celibato voluntário (cf. Mt 19,10-12).

Além disso, a este chamado corresponde um dom específico do Espírito Santo, de modo que as pessoas consagradas possam responder à sua vocação e missão. (Vita consecrata, n°30)

A consagração religiosa pertence à santidade da Igreja, é a vida da Igreja. Como a Igreja Esposa de Cristo tende a viver o "sim" pleno de Maria, assim, o religioso quer viver este mistério no coração e para a Igreja. Seus votos pertencem à santidade da Igreja. A vida religiosa não pertence à estrutura hierárquica da Igreja, mas à sua vida.

COMO DEUS SUSCITA UMA VOCAÇÃO?

« Ele sempre me deu o que eu desejei ou então me fez desejar o que queria me dar. » [Santa Teresa do Menino Jesus, Manuscrito C 31]
 
Deus se faz conhecer, ele dá a conhecer a cada um a profundidade de seu amor. Existem vocações chiques e vocações choques.
As vocações chiques tiveram sua eclosão nas famílias cristãs fervorosas que souberam fazer conhecido o rosto do Senhor aos seus filhos (como Santa Teresa do Menino Jesus). As vocações choques são convertidos aos quais o Senhor fez brutalmente irrupção (como São Paulo ou então mais próximo a nós, Charles de Foucauld).

Uma vocação amadurece e se aprofunda com o tempo. O Conhecimento do mistério de Cristo e da vida plenamente evangélica permite descobrir o dom que Jesus nos faz da sua amizade. Atrever-se na amizade divina, ousar responder à gratuidade do amor quando não se sente digno, mas porque o Senhor o quer,é o passo determinante à atravessar na vocação. O encontro com grandes testemunhos na comunhão dos santos ou dos religiosos felizes nas suas vocações. A vida que Deus nos deu é bela, não se trata de renunciar à felicidade, mas sobretudo de unir, construir  minha vida com Aquele que me permite participar de uma felicidade que nunca acaba: descobrir por Jesus o amor do Pai e deixar o Espírito Santo me estabelecer nesta verdade.

QUAIS SÃO OS SINAIS DE UMA VOCAÇÃO?

Jesus passava, Ele os chamava, eles deixavam tudo e O seguiam: o primeiro sinal é  de querer tudo deixar por Jesus. Jesus passava, ele os chamava, eles deixavam tudo e O seguiam. « Senhor, para quem iremos nós, Tu tens as palavras de vida eterna ». Um desejo que dura e se intensifica ao longo do tempo. Jesus chama, mas deseja que nós O escolhamos no coração de uma fé provada. «Eis aí a tua Mãe », um grande desejo de viver o «sim » de Maria, da Anunciação até a Cruz. Uma disponibilidade plena de seguir a Cristo aconteça o que acontecer.

 
 
 
 
Contato
 
 

Irmãos São João


Rua dos Perdões, 44, Santo Antônio Salvador, Bahia

(71) 3032-6825
 
 
 
 
Nossos
Apoiadores

Copyright © 2019 Irmãos São João. Todos os direitos reservados.